27 anos: 3 desejos, 3 aprendizados e 1 agradecimento

Ontem foi o meu aniversário! Completei 27 anos e como em cada ocasião que sugere renascimento e renovação de energia, peguei um tempo para refletir sobre o último ano. Muitas coisas importantes aconteceram neste curto período, como o nosso casamento e a mudança do oeste para o sul da França, e com essas experiências vieram ensinamentos importantes para o restante do caminho. Gostaria de compartilhar alguns pontos com vocês e é por isso que resolvi dividir o balanço deste aniversário em desejo, aprendizado e agradecimento.

Desejos

1 – Dar os primeiros passos em direção ao nosso lar

Talvez desejar ter a casa própria daqui um ano seja pedir muito, então o que eu desejo para este “novo ano” é que consigamos chegar cada vez mais próximo do sonho da casa própria. Nós gostamos muito de deixar as coisas do nosso jeito e investir na nossa qualidade de vida, mas nunca é mesma empolgação quando moramos de aluguel.

2 – Cuidar melhor de mim

Sempre tenho um desejo individualista de aprender a cuidar melhor do meu corpo e do meu espírito, de encontrar o equilíbrio entre quem eu quero ser e quem eu sou. Autoconhecimento, consciência e evolução. Quando digo que quero cuidar melhor de mim mesma, quero realmente levar esta atenção para todas as esferas da minha vida e poder trabalhar para minimizar as frustrações e aumentar a alegria de viver.

3 – Retomar a vida profissional

Não é um assunto que eu fale muito pois é sensível. Desde que cheguei na França, apesar de toda bagagem cultural, profissional e acadêmica, ainda não consegui me encontrar profissionalmente neste país. Um dos meus maiores desejos é conseguir retomar esta parte da minha vida, à qual sempre me dediquei, e continuar a construir a minha carreira.

Aprendizados

4 – O que as pessoas pensam de mim não muda a minha essência

É um raciocínio teoricamente fácil, mas difícil às vezes de nos lembrarmos quando somos acertados em cheio com um soco na cara (figurativamente falando). Tive a infelicidade de cruzar com algumas pessoas pobres de espírito e por falha minha, deixei comentários maldosos e inúteis me afetarem. Isso não vai mais acontecer.

5- Ser gentil e falar o que eu penso

Ao longo do tempo eu aprendi a escolher as minhas batalhas e deixei muita coisa “passar batido”. Acontece que eu já tinha absorvido aquela situação e ficar quieta só fez a frustração se acumular uma no topo da outra. Sempre com educação, aprendi que não é errado discordar e soltar a voz – seja sobre uma situação ou sobre um pensamento. Me segurava bastante neste sentido por causa do idioma, mas hoje eu o domino e não tenho problemas para me expressar.

6- Ser legal comigo mesma

Uma das coisas que eu mais preciso lutar contra é o padrão de beleza que tenho na minha cabeça. Não vou entrar nos detalhes da análise de como ele foi internalizado, mas a realidade é de que ele não me representa e persegui-lo é correr atrás de uma bolha de sabão. Eu preciso estar consciente das minhas qualidades e celebrá-las, me perdoar pelos erros e entender que a beleza não é apenas personalizada por uma modelo da Victoria’s Secret.

Agradecimento

7- O amor da família

Também acho que há muitos outros motivos para eu ser grata, mas o que tem sido mais importante e evidente é o amor e o apoio que tenho a sorte de receber da minha família. Quanto mais converso por aí, mais percebo como é raro ter este tipo de relação. Ninguém é perfeito e nem sempre concordamos, mas a confiança e o apoio independem disso. Dou graças a Deus pela família que tenho e pela nossa saúde.

Espero que com esta lista vocês tenham conhecido um pouquinho mais sobre mim e que ela também os façam refletir sobre os seus desejos, aprendizados e agradecimentos. Não precisa colocar na internet, mas não deixe de dizer as coisas importantes a quem merece ouvi-las.

Continue Reading