Como tirar o visto francês para estudantes #4

Este é um tema que ainda gera muitas dúvidas em quem está se preparando para vir para a França como estudante. São várias etapas, papeladas e taxas que devem ser previstas. O meu processo durou quatro meses. Consegui o documento na primeira tentativa e aqui dou dicas para você conseguir o seu também.

A terceira parte deste guia com “O Consulado” está aqui.

O exame médico

Pronto. Conseguiu o visto, chegou na França e agora pode aproveitar a sua estada, certo? Não tão rápido. Quer dizer, é claro que você pode começar a explorar e a se divertir, mas não pode esquecer duas formalidades importantíssimas: a inscrição pedagógica no estabelecimento de ensino e o exame médico no Office Français de l’Immigration et de l’Intégration (OFII – Escritório Francês da Imigração e da Integração, em português). Esta segunda etapa é apenas exigida para os detentores de um visto com prazo superior a seis meses.

Sobre a inscrição na escola, cada instituição tem um prazo e eventuais exigências de documentos. Não deixe de saber esses detalhes antes de viajar. Assim você tem tempo para providenciar algum documento no Brasil e também pode ajustar melhor a data das passagens. Caso não conseguir chegar no prazo, não deixe de explicar a situação à administração para que uma solução possa ser acordada entre as duas partes.

Já sobre a visita médica obrigatória no OFII, é preciso realizá-la no prazo máximo de três meses após a entrada em território francês ou no espaço Schengen. Apenas após esta etapa o seu visto será validado como “visa valant carte de séjour”, permitindo que você fique aqui legalmente.

A lista completa dos OFIIs está disponível aqui.

Documentação 

O Campus France, informa que  “alguns estabelecimentos assinaram uma convenção com o OFII para poderem receber a documentação de validação de visto juntamente ao bureu d’accueil des étudiants étrangers. Cabe ao estudante se informar junto à instituição de ensino francesa se este serviço estará em vigor no momento de sua chegada”.

A Universidade de Nantes, no momento da minha chegada, possuía esse tipo de serviço e facilitou muito! Mas caso a sua escola não o tenha, assim que chegar você precisa enviar em uma carta registrada ao OFII correspondente à sua residência: o formulário preenchido (fornecido pelo consulado mas também disponível aqui) e cópia das páginas do passaporte que indicam os dados pessoais, o visto e o carimbo que atesta o dia de sua entrada na França ou no espaço Schengen. Você receberá de volta uma convocação para o exame.

Neste dia, você deve levar: o passaporte, uma justificativa de domicílio, uma foto 3×4 (ou 35×45 mm) e os selos fiscais (com a menção ANAEM ou OMI) comprovando o pagamento da taxa de 58€.

Não se preocupe, é um exame geral de saúde e raio-X. Eu tinha até levado uma cópia da minha carteira de vacinação e a médica gostou de dar uma olhada. Eles fazem perguntas básicas e normalmente esses profissionais falam pelo menos um tiquinho de inglês (caso ainda não consiga se expressar em francês).

Esta etapa é mais uma burocracia chatinha que não tem como contornar. O meu conselho é fazer isso o mais rápido possível (não deixe para começar o processo na última hora!) para ficar livre – e tranquilo(a) – o mais cedo possível. Se este procedimento não for cumprido, o visto perde a validade três meses após a data de emissão.

Esta é a última parte desta série de posts. Confira a página inicial do guia aqui. Espero ter ajudado e se ficou alguma dúvida, é só entrar em contato!

Continue Reading

Como tirar o visto francês para estudantes #3

Este é um tema que ainda gera muitas dúvidas em quem está se preparando para vir para a França como estudante. São várias etapas, papeladas e taxas que devem ser previstas. O meu processo durou quatro meses. Consegui o documento na primeira tentativa e aqui dou dicas para você conseguir o seu também.

A segunda parte deste guia com “As etapas do Campus France” está aqui.

O  Consulado

O agendamento da solicitação de visto junto ao Consulado é feito pela internet. Aqui cometi um “erro”: fiquei esperando pela confirmação do Campus France (que demorou uma semana) e quase não achei datas disponíveis, já que estava bem no período de maior movimento no Consulado francês – que vai de junho a setembro, logo antes do início do ano letivo francófono. O Consulado pede que você não entre com o pedido de visto com mais de oito semanas de antecedência. Eu tinha cinco e as passagens aéreas já estavam compradas.

A relação de documentos a serem entregues no Consulado está aqui, e ela varia de acordo com o caso. Eu entrei na categoria “Visto de longa duração para estudantes de curso de francês”, que tem exigências relativamente simples. A única dificuldade que encontrei foi efetuar o pagamento total do curso à distância. Pelo menos na Universidade de Nantes, o pagamento é feito apenas na hora da inscrição presencial, então tive que falar diretamente com o serviço de contabilidade para poder resolver isso. Além dos documentos pedidos, leve tudo (cópia + original) o que comprove que você tem renda mais do que o suficiente para ficar no país durante o determinado período. Pense mais alto do que os ditos 615€ mensais.

Fui ao Consulado com quatro envelopes: os documentos requisitados originais; as cópias deles, os documentos extras originais e as respectivas cópias. Organize-se ao máximo para poder entregar o que for pedido o mais rápido possível. Entre os últimos, estava a declaração de financiamento do meu pai e todos os seus comprovantes de renda. Eu tinha a quantia mínima exigida de 615€/mês para sustento em meu nome, mas, mesmo assim, resolvemos incluir os papéis de um responsável. Usamos os modelos oficiais de declaração, disponíveis aqui. Foi a sorte.

Meu namorado, que era com quem eu iria morar, escreveu uma carta convite. Não há um modelo oficial, então pegamos um exemplo na internet. Ele falou onde trabalha, onde mora e que, em caso de necessidade, me ajudaria com as despesas. A dúvida era se ele deveria me declarar como sua namorada, pois normalmente esta situação não é sinônimo de estabilidade. Resolvemos que era melhor não tentar esconder a verdade, mesmo correndo o risco de isso acarretar na recusa do visto. É muito importante anexar à carta uma cópia do comprovante de endereço e da identidade da pessoa. Além disso, eu também tinha uma cópia do contrato de locação do apartamento. Para quem ficará na casa de um conhecido por menos de três meses por motivos pessoais (e não estudo), é necessário uma “attestation d’accueil”.

A entrevista

Após se identificar na recepção, você deverá preencher um formulário e um atestado de que recebeu as informações da imigração (tudo em francês). Na minha entrevista, foram logo pedindo as cópias dos documentos exigidos. A pessoa perguntou se eu já havia estudado francês e eu respondi que tinha feito apenas um intensivo. Ela pediu um comprovante disso, mas expliquei que como não havia concluído o curso, não tinha o tal documento. Insistiu, então, para saber se eu era capaz de falar francês e eu disse que poderia entender o básico. Ao ressaltar que algumas instituições exigem um determinado nível, expliquei que havia me inscrito na Universidade de Nantes justamente por aceitarem debutantes no idioma.

Depois, chegou a hora de questionar quem era a pessoa que iria me acolher. Quando disse que era meu namorado, perguntou se eu estava indo apenas para viver com ele. Sem pestanejar repliquei que queria estudar e que ele acabou facilitando as coisas porque tinha me oferecido um lugar para ficar e o assunto acabou ali. Apesar de ter entregue as justificativas financeiras em meu nome, logo me foi exigido entregar as do meu pai também (que tinha levado caso fosse necessário!). Os números foram checados atentamente.

Se depois da entrevista eles consideram que a documentação está correta, eles te liberam para pagar a taxa de 50€ (quitação em Real e em espécie – leve o dinheiro trocado!) e para processar os seus dados biométricos. Cerca de 15 dias depois o visto fica pronto. Você pode conferir o status do processo pelo mesmo site do agendamento.

Tenho a superstição de não contar sobre os meus planos até que estejam bem concretos. Ou seja, não contei para ninguém que estava me mudando para a França até ter o visto em mãos – duas semanas antes de embarcar.

Confira a página inicial do guia aqui e veja quais serão os próximos assuntos abordados. Ficou alguma dúvida ou tem uma sugestão de conteúdo? Entre em contato.

Continue Reading

Como tirar o visto francês para estudantes #2

Este é um tema que ainda gera muitas dúvidas em quem está se preparando para vir para a França como estudante. São várias etapas, papeladas e taxas que devem ser previstas. O meu processo durou quatro meses. Consegui o documento na primeira tentativa e aqui dou dicas para você conseguir o seu também.

A primeira parte deste guia com “Informações iniciais básicas” está aqui.

As etapas do Campus France

Com o papel original da aceitação da faculdade em mãos, comecei o processo com o Campus France. Foi simples e se tiver dúvidas, pode entrar em contato com eles para esclarecê-las. O pessoal foi bem atencioso comigo. Lembrando que fiz a minha inscrição na Universidade de Nantes sozinha. Quem ainda não tiver esse documento, pode solicitar a ajuda da agência para encontrar uma escola em determinados casos. Os dois procedimentos são diferentes.

Para quem já foi aceito em uma instituição de ensino francesa, o primeiro passo é se cadastrar no site do Campus France. É por lá que você acompanhará a validação de cada etapa antes da entrevista – são cinco no total. Por isso, não perca seu número de registro e senha de acesso. O formulário está em francês (lembram que recomendei já ter pelo menos uma noção do idioma?) e pede dados básicos como nome e data de nascimento.

O preenchimento do dossiê é o segundo passo. Lá você deve responder perguntas sobre o seu nível de escolaridade no Brasil, a motivação do seu estudo na França, se já estudou o idioma estrangeiro (onde e por quanto tempo), se já morou fora do Brasil e etc. Ou seja, são esses dados que devem estar de acordo com o seu projeto de estudos. Separe todos os certificados que tiver e digitalize-os, pois você vai precisar anexar esses documentos ao formulário online. (Conselho: leve também originais + cópias na entrevista, vai que…).

Depois de enviado, o seu dossiê passa por uma avaliação da equipe Campus France. Em até 72 horas você deve receber um retorno validando o seu processo ou, eventualmente, solicitando correções. Esta é a terceira etapa. No meu caso, não houve nenhuma correção e quando fiz esse procedimento, tive ainda que enviar a cópia de alguns documentos para o escritório deles, mas agora aparentemente tudo está digital – o que facilita bastante!

campus-france-visto-estudante-

A quarta etapa é o pagamento da taxa administrativa, atualmente fixada em R$450,00 (em 2013 era de R$335,00). As orientações são dadas por inbox no site e devem ser seguidas no prazo máximo de dois dias úteis. Após validação, você pode agendar a entrevista.

Quinto passo: O agendamento é feito por e-mail, mas você recebe as instruções pela caixa de mensagens. Por isso que é tão importante sempre acessar o site e acompanhar a validação das etapas.

Todo esse processo, que, eu sei, parece bem longo, demorou apenas uma semana para mim (e olha que tive que enviar documentos pelos Correios!).

A entrevista do Campus France

A lista dos casos dispensados de entrevista pré-consular está aqui. Ela deve ser feita presencialmente em uma das seguintes capitais brasileiras: Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Luís, São Paulo e Salvador.

Uma entrevista de candidatura aos estudos superiores na França deve idealmente ser realizada, parcialmente ou integralmente, em francês. Para os outros casos, pode ser em português. De uma forma geral, a conversa dura 30 minutos e aborda assuntos ligados ao percurso de estudos e aos objetivos acadêmicos na França. É como uma entrevista de emprego (porém bem menos formal), onde você deve explicar as suas escolhas, motivações e aspirações profissionais. Não esqueça de dar um toque pessoal em suas repostas, para não ficar robótico e mostre conhecimento sobre o programa oferecido pela futura escola.

Minha entrevista durou 15 minutos e foi em português. Basicamente, fiz um monólogo de todo o meu currículo, falei da minha experiência em Chicago e no fim ela me deu o papel que atestava o fim do processo com o Campus France. Este documento faz parte dos exigidos pelo Consulado para conseguir o visto francês para estudantes.

Confira a página inicial do guia aqui e veja quais serão os próximos assuntos abordados. Ficou alguma dúvida ou tem uma sugestão de conteúdo? Entre em contato.

Continue Reading

Como tirar o visto francês para estudantes #1

Este é um tema que ainda gera muitas dúvidas em quem está se preparando para vir para a França como estudante. São várias etapas, papeladas e taxas que devem ser previstas. O meu processo durou quatro meses. Consegui o documento na primeira tentativa e aqui dou dicas para você conseguir o seu também.

Informações iniciais básicas

O pedido de visto de estudante tem uma etapa pré-consular (composição de dossiê + entrevista) feita pelo Campus France. Apenas com a validação desta instituição é que é possível dar continuidade ao processo junto ao Consulado Francês no Brasil.

Em primeiro lugar, tenha paciência. As coisas não vão ser tão rápidas quanto você gostaria e você não vai entender o motivo de ter que fazer várias delas. Faça-as mesmo assim. Afinal você quer entrar em outro país e deve seguir as regras dele. Tenha organização. Como eu disse, são meses até ter o visto em mãos. Então é imperativo separar os documentos (sempre originais e cópias) da “baguncinha” do dia a dia e prestar muita atenção aos prazos.

Vamos começar?

Tenha certeza de que o seu projeto de estudos aqui é compatível com o seu perfil profissional. Quero dizer, eles estranharão um engenheiro que quer fazer um curso de gastronomia em Paris. Pode ser o caso. Então certifique-se de que os argumentos são coerentes e sustentáveis. Por exemplo, na época eu já era formada em Jornalismo e gostaria de aprender um novo idioma pois já falava inglês e espanhol. Depois de estudar francês, tinha também interesse em outro curso da área de Letras da Universidade de Nantes. Pesquisei e guardei as informações para apresentá-las na entrevista com o Campus France (etapa que será explicada no post #2).

A candidatura nos estabelecimentos de ensino pode ser feita com a ajuda do Campus France (mais informações aqui) ou por conta própria (meu caso). O primeiro critério para os estudantes é de que o curso (de idioma ou de outra área) tenha carga horária total mínima de 20 horas semanais. Lembrando que o início do ano letivo aqui é no mês de agosto.

bonjour

Estude para aprender francês

Recomendo ter pelo menos o nível básico de francês antes de pedir o visto. Sim, mesmo que você esteja indo para aprender o idioma. Isto vai te ajudar a entender melhor os papéis e o processo como um todo. E aconselho ainda que invista em um curso da Aliança Francesa ou de uma escola conveniada. Não é exigência, mas é bem visto. Porém eu fiz no CNA e não tive problemas além de uma “puxadinha de orelha”.

Pesquise se há um tradutor juramentado perto de onde mora. Você vai precisar deste tipo de serviço ao se candidatar a uma vaga em uma escola francesa. Lembrando que todos os documentos administrativos brasileiros também devem ser traduzidos. Dica: venha com pelo menos uma segunda via da certidão de nascimento atualizada e a respectiva tradução. Verifique se o tradutor é devidamente registrado e habilitado para tal função. No estado de São Paulo, por exemplo, a Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo) disponibilizada uma lista de profissionais e os preços são tabelados.

Confira a página inicial do guia aqui e veja quais serão os próximos assuntos abordados. Ficou alguma dúvida ou tem uma sugestão de conteúdo? Entre em contato.

Continue Reading