Vlog: Andando de jetski pela primeira vez

Quando eu disse no post passado que o meu marido tinha me feito uma enorme surpresa no dia do meu aniversário, o que eu queria dizer é que ele me levou para andar de jetski! Sempre quis fazer isso, mas quando eu era mais nova e muito menos medrosa. Hahahaha. Também foi muito legal ver de pertinho o maior veleiro do mundo, lembram que ele já tinha “aparecido” por aqui quando fomos para Menton?

Quer dar uma volta pela Riviera Francesa pelo mar? Então é só dar play!

Ufa! Kkkk. Foi incrível. Acho que dá para perceber que eu fiquei meio “passada”. Hahaha. Pelas indiretas do meu marido no dia anterior, eu achava que ele ia me dar um dia de spa ou algo do tipo #SQN. Acabou sendo um presente para os dois, pois ele, que faz niver daqui a pouco, também aproveitou muito!

Para quem vai passar pela região da Côte d’Azur e ficou com vontade de ter esta experiência, fizemos o passeio com a Antibes Jet Spot. Os preços variam de 60€ (20 minutos) a 270€ (7 horas).

Gostaram? Então não deixem de comentar, dar um like no vídeo e seguir o canal do blog no Youtube!

Continue Reading

Parque da Colina do Castelo e o melhor pôr do sol de Nice

Não sou de dizer o que os outros devem ou não fazer em uma viagem, afinal cada um tem as próprias preferências, mas o Parque da Colina do Castelo em Nice é um lugar que eu recomendo fortemente que você visite quando estiver na região. O ideal é fazê-lo perto do horário do pôr do sol, assim você pode assistir a esta maravilha da natureza do ponto de observação mais alto da cidade, vendo a luz deixando ao mesmo tempo o centro antigo e escurecendo o Mar Mediterrâneo. Dizem que é um dos panoramas mais lindos do mundo.

O local abre às 8h e fecha após o entardecer. A entrada é gratuita e o acesso ao elevador também (procure pela placa “ascenseur”). Li que a parede atrás do banco que fica perto do elevador esconde um acesso secreto para a rede de túneis da 2ª Guerra Mundial! Para quem preferir, também é possível subir degrau por degrau e ir parando nos diferentes níveis para explorar a natureza.

A vista da colina para quem está na avenida Quai des États-Unis e prestes a começar a subir. Repare na foto onde fica o elevador (ascenseur), à esquerda.

Se conseguir, vale chegar um pouco antes do pôr do sol para aproveitar. Apesar de ser chamado de Colina do Castelo, não tem castelo nenhum por lá. O prédio foi destruído pelos soldados do rei Louis XIV em 1706. Nesta época, Nice não pertencia à França, mas sim ao Ducado de Saboia. Até hoje o local é um sítio arqueológico a céu aberto, inclusive com áreas restritas pois buscas ainda estão em andamento, e é possível observar algumas ruínas da época. Pessoalmente, eu acho que é aqui que a Fera da história “A Bela e A Fera” morava.

Ruínas do castelo.
Mosaicos decorativos em uma das escadarias.
O chão da mesma escadaria da foto acima. Vai falar que não saiu do filme “A Bela e A Fera”?
“Buscas arqueológicas. Entrada proibida”. Lá estão as ruínas de uma capela.

O Parque da Colina do Castelo de Nice é um dos lugares mais pacíficos que já visitei. É muita natureza, nada de barulho de carro, apenas pássaros – isso quando os seres humanos colaboram, claro. Este passeio, como vários outros, foi improvisado e não tivemos tempo para explorar todos os 19,3 hectares antes de nos posicionarmos para ver o pôr do sol. Pesquisei e descobri que na parte de trás da propriedade estão dois cemitérios, então acho que não perdi nada. Hahaha.

Neste “nível” da colina também há um playground para crianças.

Dicas extras: Uma vez por ano, entre os meses de Junho e Julho é realizada a Festa do Castelo. Durante duas noites, bandas tocam a céu aberto no parque. Além de ter uma vibe diferente, também é a única oportunidade de visitar o local durante a noite.

O centro antigo de Nice, no pé da colina, bomba durante a noite com bares e restaurantes, não apenas ao longo do Quai Des États-Unis (que é o “começo” – ou o fim, dependendo da perspectiva – da famosa Promenade des Anglais), mas também nas ruazinhas internas. Vale a pena explorar e procurar um bar para tomar apenas o “apéro” (uma bebida antes da refeição) ou um restaurante para jantar mesmo.

Levanta a mão aí quem adora pôr do sol! Me conte nos comentários se acha justo, pelas fotos, considerar a vista do Parque da Colina do Castelo como um dos panoramas mais bonitos do mundo!

Continue Reading

Moonstone Magic

O Madame Brasil fechou a primeira colaboração! Fiquei tão feliz e hoje eu posso finalmente compartilhar este “achado” com vocês. A história começou da seguinte forma: achei o Instagram da Moonstone Magic e me apaixonei pelas peças feitas exclusivamente com a pedra da lua, que eles chamam de “Rainbow Moonstone”. Enviei um elogio e eles responderam com a proposta de fazermos algo juntos. A loja online é dos Estados Unidos, mas eles enviam para o mundo todo. Demorou uns dez dias para chegar aqui em casa, mas veio em perfeitas condições.

Escolhi o anel “Leaf of Light” (ou Folha de Luz, em português) porque queria algo delicado, porém nem tão minimalista assim. Há algum tempo comecei a me interessar um pouco mais sobre este universo das pedras e gostaria de ter uma peça com a maior quantidade possível de pedra da lua. Achei este perfeito porque a folha é formada apenas pelas as pedras lapidadas e a estrutura metálica é bem discreta. O anel é ainda mais delicado pessoalmente. Este foi o meu favorito, mas eles têm outros incríveis na seleção de “Rainbow Moonstone Rings by Moonstone Magic”.

Pesquisando, aprendi que a pedra da lua é conhecida por sua “importância espiritual antiga em sua ligação com a lua e o aspecto intuitivo da natureza das pessoas”. Além disso, ela teria propriedades para ajudar a estabilizar as emoções. Cada vez mais tento tornar o inconsciente consciente e sou bem ansiosa, então se a pedra realmente for capaz disso, é uma ajuda bem vinda! Hahaha

Vocês gostam de bijuterias feitas com pedras? Me contem nos comentários se vocês têm um mineral preferido e não deixe de visitar o site da Moonstone!

|Este post é uma colaboração entre o blog Madame Brasil e a loja Moonstone Magic|

Continue Reading

A praia mais linda que já vi na vida

Lembram que no post sobre a caminhada em Saint-Jean Cap Ferrat eu contei que demos a volta na península inteira, mas tinha faltado uma “extensão”, tipo a península da península? Hahaha. Pois bem, no último fim de semana tive a oportunidade de voltar para aquelas bandas para concluir o percurso. E fiquei pasma. Estive na praia mais linda que já vi na minha vida até hoje, a Paloma Beach. Não vou nem me preocupar em tentar encontrar palavras para descrever a paisagem, é só observar a imagem de capa deste post (tem mais fotos para baixo).

Promenade des Fossettes 

Mas vamos começar esta nova caminhada do começo, pela Promenade des Fossettes (é uma rua, pode colocar no GPS). Do porto de Saint Jean Cap-Ferrat até lá é rapidinho e toda a trilha é pavimentada. O caminho porém é bem irregular em certos pontos, então vá com sapatos rasteiros. Digo isso porque sim, vi gente andando de salto – e ainda uma senhora.

Tá vendo o bloco de pedra no centro da foto? É o “peixe” do post passado sobre Cap-Ferrat!

Na volta eu esqueci de olhar no relógio, mas diria que no total, ficamos lá uma hora e meia, duas horas (contando a pausa para comer os lanchos hahaha). Esse trecho é um “resumo” da caminhada que dá a volta em todo o cabo. Então serve como dica se você só quer ver a paisagem magnífica, mas não ter que andar tanto – por falta de vontade e/ou de tempo. E no fim, a surpresa vale a pena.

Paloma Beach

Não consigo me conformar com a cor da água desse lugar. A praia é bem pequena e tem um restaurante com o mesmo nome. O estabelecimento privatiza uma área central, demarcada pela cerquinha branca, mas as laterais são de uso livre do público. O acesso à Paloma Beach também pode ser feito diretamente do porto da cidade, não precisa dar toda a volta na “mini-península” para chegar até lá. É a dica de “Endereço Legal” deste post. Passe por lá, mesmo que for rapidinho!

Saint Jean Cap-Ferrat

Achei que no outro post faltou transmitir um pouquinho da vibe da cidadezinha (que deve ter uma proporção de renda per capta por metro quadrado maior do que a de muita capital hahaha), então tirei essas fotos para vocês.

O que acharam da Paloma Beach? Me contem nos comentários quais são as praias mais bonitas que já visitaram ou quais estão na lista de próximos destinos de férias! 

Continue Reading

Puy du Fou, o melhor parque do mundo

O Puy du Fou (não vou ensinar fonética francesa aqui, mas pronuncia-se algo do tipo phu-du-fú Hahaha) é o segundo parque de atrações mais visitado da França, perdendo apenas para a Disneyland Paris. Em 2016, mais de 2 milhões de pessoas passaram por lá. Com um conceito diferente do comum, ele recebeu nos Estados Unidos o prêmio de “Melhor Parque do Mundo” em 2012 e 2014.

Não é um lugar cheio de brinquedos e atrações mecânicas, mas sim uma área de quase 80 hectares dividida em palcos dos mais diferentes tipos onde são interpretados momentos importantes da história francesa e da região da Vendée, onde o Puy du Fou está localizado, a mais de 3h30 de Paris. Tive a oportunidade de conhecê-lo no verão passando, quando a minha família veio para o casamento. Foi muito especial poder dividir esta experiência com eles, é o programa ideal para fazer em família. Na verdade, como meu pai gosta muito de história, meu marido fez eu esperar a vinda deles para podermos finalmente ir até lá! Kkk

 

Investimentos milionários

Este ano o parque celebra 40 anos. Para esta nova temporada (que começa em Abril e vai até Setembro), foram anunciadas duas novas atrações, o quinto hotel do perímetro e mais dois restaurantes, totalizando um investimento de 30 milhões de euros. O espetáculo Le Dernier Panache”, lançado em 2016, ganhou o prêmio de “Melhor Atração Europeia”. O auditório rotativo, que acomoda 2.400 pessoas, se transforma (literalmente) e se inspira na história de François Athanase Charette de la Contrie, um oficial da Marinha francesa líder do movimento da Vendée contra a Revolução e que foi condecorado por George Washington pela participação na Guerra de Independência dos Estados Unidos. Só este espetáculo custou 19 milhões de euros!

E essas são apenas as novidades. O Puy du Fou tem ainda muitas outras atrações tradicionais como: um show com dublês, acrobacias e animais na época Viking, uma interpretação da história do Rei Arthur, uma encenação de atores e cavalos incrível ambientado no universo dos Três Mosqueteiros, uma imersão na época dos gladiadores e uma visita ao castelo que te coloca na pele de um rei ou de uma rainha. Essas são apenas algumas, mas com certeza as que mais marcaram a minha experiência neste parque.

Outro show hiper popular entre os visitantes é a “Cinéscénie”, que sozinha ocupa 23 hectares do espaço e coloca em frente ao público 2.000 atores. Durante 1h40 de espetáculo são encenados  momentos importantes da Idade Média à Segunda Guerra Mundial. No total, apenas para esta atração são confeccionados 24.000 fantasias. A “Cinéscénie” é tão famosa, que o recomendado é chegar uma hora antes para conseguir lugar. Ela é realizada a partir de Junho, apenas às sextas e aos sábados.

Acho que deu para entender o tamanho da coisa, né? O conceito de explorar a história local num parque de diversões é tão legal que já foi exportado para a Inglaterra e para a Holanda. Os futuros planos dos donos consideram novas construções na Espanha e na China. É importante ressaltar que o objetivo não é levar a história da França a esses países, mas sim se inspirar na bagagem cultural de cada um.

Puy du Fou

85590 Les Epesses

Horários de visita

O Grande Parque abre de 1º de Abril a 24 de Setembro, das 10h às 22h30.

Confira as excessões.

Tarifas

Passe 1 dia para o Grande Parque: 38€ adulto e 27€ criança.

Combo 1 dia Grande Parque + Cinéscenie (reservado com antecedência):  54€ adulto e 36€ criança.

1 noite Cinéscenie (reservado com antecedência): 27€ adulto e 19€ criança.

Confira os preços para visita de mais dias e descontos para reservas antecipadas.

Não deixe de assistir ao vídeo promocional abaixo. Normalmente prefiro colocar apenas conteúdo que eu mesma produzo aqui, mas ficou tão bem feito (e gostei tanto da música), que não tinha como deixar de lado.

Ainda tenho mais coisas e dicas para contar sobre o Puy du Fou, por isso fiz um post com informações práticas e conselhos para quem está pensando incluir o parque no próximo roteiro e outro com as três atrações que, na minha opinião, são imperdíveis! Não deixe de me contar nos comentários o que achou do conceito e se ficou com vontade de visitar! 

Continue Reading

Oh My Cream!

Oh My Cream! é o nome de uma loja francesa – online e física – de produtos de beleza e cuidados com a pele. Fundada em 2012 por Juliette Lévy, a proposta é de facilitar o acesso às marcas que antes eram dificilmente encontradas na França. A seleção inclui Dermalogica, RMS Beauty, Joelle Ciocco, Tata Harper, Ren Skincare e muitas outras. Além do e-commerce (super completo) que entrega para o mundo inteiro, Oh My Cream! tem, por enquanto, cinco lojas no país. Elas inclusive oferecem tratamentos estéticos.

Infelizmente ainda não tive a oportunidade de visitar uma boutique, mas compro online há pelo menos dois anos. Além de oferecer produtos super legais (muitas vezes naturais e/ou orgânicos), eles prestam muita atenção à experiência do cliente. Toda compra é acompanhada de uma bolsinha com nada menos do que cinco amostras grátis. Se você é como eu e adora poder testar coisas novas antes de decidir adquiri-las, vai se pegar mais animada para descobrir o que veio de surpresa do que o próprio produto encomendado. Hahaha Quanto mais gorda a compra, mais legais ficam as amostras. Acho bem justo.

1. Creme corporal de Laranja Sanguínea e Baunilha (John Masters Organics) – 23€

2. Sérum ultra-hidratante (Ren Skincare) – 45€

3. Spray de tratamento para couro cabeludo (John Masters Organics) – 26€

4. Sérum EGF (Bioeffect) – 139€

5. Máscara efeito peeling (Ren Skincare) – 40€

6. Iluminador (RMS Beauty) – 35€

O atendimento, pelo menos online, também é de primeira. Principalmente considerando a cultura francesa de nem sempre (ou quase nunca?) dar razão ao cliente. Ontem mesmo entrei em contato, sem contar que estava escrevendo sobre eles, para avisar que a tampa do desodorante veio quebrada. Não é legal, mas não prejudicava o uso do produto. Mesmo assim, avisaram que mandarão outro. É um tratamento essencial para fidelização e gosto muito disso!

A última dica para quem gostou da loja é “juntar” os desejos e comprá-los quando tiver um código promocional rolando. Vira e mexe eles oferecem produtos tamanho viagem de marca X ou até sorteiam o reembolso de uma encomenda. Também tem a “caixa descoberta”, que contém a seleção de produtos queridinhos para o começo de cada nova estação. A melhor maneira de acompanhar essas novidades é segui-los no Instagram (@ohmycream).

Gostaram da dica? Me conte nos comentários se você já comprou na Oh My Cream! ou se gosta desse tipo de conceito. Outras dicas de lojas legais de beleza também são sempre bem vindas!

Continue Reading

Vlog: realizando o sonho de ver neve

Ver neve era o primeiro item da minha lista de “Coisas para fazer antes morrer” (sim, sou dessas) e pouco antes de 2016 acabar eu realizei este grande sonho. Não contente em apenas brincar com o gelo, resolvi também me aventurar no esqui. Veja no video abaixo a minha experiência e acompanhe a linda viagem da Riviera Francesa até os Alpes do Sul.

Isola 2000

A estação de esqui Isola 2000 fica à 90km de Nice (cerca de uma hora e meia de viagem) e o acesso é pela estrada nacional, ou seja, livre de pedágio. Também é possível chegar de ônibus (a partir de 4€). O local está a 2 mil metros de altitude, na fronteira com a Itália e com o Parque Nacional do Mercantour.

Isola 2000 tem dois estacionamentos gratuitos (o 1 fica no ponto mais baixo das pistas e o 2 fica no nível do Office de Turismo e das lojas de locação de equipamentos). Em alta temporada é importante chegar cedo (a abertura é às 9h) para conseguir vaga.

A “mini pista” onde filmamos este vlog é gratuita. Para utilizar outros “tire-fesse” (o reboque que te leva para o topo da colina) e telesqui é necessário comprar um pacote de acordo com a duração da estadia e o nível das pistas que você deseja (do verde – mais fácil – ao preto – impossível kkk). Este pacote será obrigatoriamente carregado no cartão (1,50€), que permitirá o acesso aos dispositivos mecânicos. A compra do “forfait” pode ser feita online (desde que você já tenha o cartão) ou presencialmente, mas se prepare para encarar longas filas.

Dica: durante a temporada eles fazem uma venda flash com promoções todas as terças-feiras às 20h.

Aluguel do esqui

Utilizamos o site Skimium para alugar os equipamentos pois ele dava em torno de 20% de desconto com a reserva feita com antecedência (até a noite anterior) e mais 5% para os clientes com cartão Decathlon. O preço varia de acordo com o nível de experiência. Por exemplo, esquis + botas para iniciantes custam em torno de 23€/dia. O capacete fica por 4€. Mais experimentados podem alugar equipamentos de melhor qualidade por pouco mais de 30€/dia.

Reserva feita, retiramos os esquis na loja física na entrada da estação.

Ficou alguma dúvida ou tem outro conselho para quem quer esquiar na região? Comente! Não deixem também me contar o que acharam do vídeo! O que estaria na lista de “Coisas para fazer antes morrer” de vocês?

Continue Reading

Marques Avenue: um outlet perto de Nantes

Quem acompanha o blog no Instagram (@madamebr, segue lá!) viu que no último fim de semana eu fui fazer compras. Conheci, pela primeira vez, um lugar chamado Marques Avenue – um outlet que fica a menos de 60 km de Nantes. É o único centro comercial do tipo na região oeste da França. A localidade dos outros seis pontos da rede pode ser consultada aqui.

No complexo Marques Avenue (Avenida das Marcas, em tradução livre para o português) de La Seguinière, estão quase 50 galpões com mais de 100 marcas como: Galeries Lafayette, Levi’s, Home & Cook, Oxbow, Triumph e Princesse tam-tam.

Marques-Avenue

Os descontos médios durante todo o ano são de no mínimo 30%, mas podem chegar a 70% durante os períodos de liquidação (a de verão 2016 vai até o dia 2 de agosto). Ou seja, vale muito a pena! Só que outlet é aquela coisa: precisa ir com paciência para garimpar. O espaço é pequeno se comparado com outlets americanos ou até com brasileiros, por isso não há tantas opções. Mas dá para fazer bons negócios! Separei alguns exemplos para vocês:

Um dos meus “achados” foi este vestido do Michael Kors. Não gosto de laranja, mas o corte é tão lindo que ignorei a cor kkkk. Para vocês terem uma ideia: além dele, compramos uma blusa também do Michael Kors para mim e um short Ralph Lauren e uma blusa de manga comprida da Azarro para o meu noivo. No preço “normal” das Galeries Lafayette esta conta teria chegado aos 900€ (!!!), mas no outlet ficou abaixo dos 200€.

 marques-avenue-michael-kors

Nem a casa escapa

Confesso que nem queria olhar coisas para a casa (alguém me culpa?), mas não dava para ignorar os descontos nos produtos em que estávamos precisando. Por exemplo, este processador com cinco opções da Moulinex é vendido por 90€. Nós o compramos com sete opções de ralador por pouco menos 60€. Um bom negócio, não é?

O Marques Avenue fica na Rue du Bocage, 49280 La Séguinière, tem estacionamento gratuito e funciona de segunda a sábado, das 10 às 19 horas. Quando der fome, tem um restaurante “La Mie Câline” lá dentro. Aliás, ponto negativo para a falta de opções de refeições no local, quem quiser comer outra coisa precisa pegar o carro e ir procurar outro lugar.

Quem aí gosta de outlet? Me contem nos comentários alguns dos seus “achados”! Ainda acho que a minha melhor compra da vida é um sobretudo vermelho da Calvin Klein por US$80, em Chicago. É tão deuso que devo ter usado só umas duas vezes, com medo de estragar! kkk

Já visitou o Marques Avenue? Me conte o que achou!

Continue Reading

Vlog: um dia em Paris

Neste último sábado (02/07) fui passar um dia em Paris e resolvi gravar tudo para mostrar para vocês. Além disso, foi a primeira vez que andei de trem. Chega a ser engraçado como as pessoas pensam que vou a Paris quase todo dia (quem me dera!), mas a realidade é bem diferente. Então quando vou à capital ainda fico deslumbrada e aproveito ao máximo! Também tínhamos a missão de encontrar os sapatos para o noivo usar no casamento. Será que conseguimos? Assistam e me contem o que acharam desse primeiro vlog (da minha vida!).

Lista dos restaurantes

Chez Clément – 123 avenue des Champs-Elysées

Gente, o que dizer de tomar café da manhã olhando para o Arco do Triunfo?! É algo que não poderia acontecer nem nos meus sonhos. Pois saibam que apesar de toda a pompa, esse sonho é bem possível e acessível. Pedimos um café da manhã “Tradicional”, com uma bebida quente, um suco de laranja, uma baguete, um croissant e uma fruta fresca por 9€ por pessoa. Nos sustentou tanto que nem almoçamos. Um achado, né? Então guarde este endereço!

Sorveteria Louíse – (Galerie Lafayette Paris Haussman ) 40, Bd Haussmann

Apesar de ter o sabor exótico de “violeta”, não diria que o destaque dessa sorveteria seja a carta de sabores. Mas a gente não pode recusar uma pausa no ar condicionado com vista para a Torre Eiffel, né? O espaço gourmet da Galeria (6º andar) tem várias outras opções de restaurantes. Na Louíse, uma bola de sorvete custa 1,90€ e duas bolas, 3,40€.

Pret a Manger – (Galerie Lafayette Paris Haussman) 40, Bd Haussmann

Se você gosta de sanduíche natural, suco verde e smoothie de frutas, este endereço é para você. Paramos lá porque a propaganda do novo smoothie de côco chamou a minha atenção (gosto pouco). É um espaço pequeno, com opções deliciosas e carinhas. O smoothie foi 4€90.

Le Saint André – 2 rue Danton

Considero este restaurante o segundo “achado” desta viagem, junto com o café da manhã do Chez Clément. E sabe como conseguimos este endereço? Paramos uma moça que estava passeando com o cachorro na rua – imaginando que ela deveria conhecer a área (saindo da Pont des Arts) – e perguntamos se ela tinha alguma indicação. Le Saint André tem atendimento bacana (quem ainda fala bacana?!) e comida caseira. Uma das melhores porções de batatas fritas que comi na minha vida – e olha que a lista é longa! Aliás, foi a primeira vez que vi um menu com porção de batatas fritas desde que moro aqui. O salmão que pedi custou 15,60€ e mais 4,50€ das batatinhas (preços bem razoáveis). Se estiver com fome ao sair da catedral de Notre Dame ou do museu do Louvre, pare lá!

Continue Reading