Sou fã do conceito da Lush. Os cosméticos são feitos à mão, com o máximo possível de ingredientes naturais e sem testar em animais. Como disse em um post no Instagram após a minha última passagem em uma das lojas dela, estou tentando prestar cada vez mais atenção nas diretrizes das marcas. Resolvi começar a dar preferência às marcas que seguem esta ideologia (que eu considero mais correta e responsável), mas isso não significa que de um dia para o outro vou mudar todos os meus hábitos e produtos de costume.

Considero isso um processo, assim como tornar-me vegetariana. Com a comida, é até mais fácil para mim porque não curto muito carne. Já resistir à um creminho “milagroso” ou àquele tom de batom que só encontro na bendita marca que também vende na China (e por isso ainda testa em animais) já é mais difícil. Mas como eu disse, é um processo de descoberta e também de adaptação.

E falando em novos achados, foi neste estado de espírito que resolvi trocar o meu esfoliante facial preferido da Avène pelo o “Smmuggler’s Soul” da Lush.

Esfoliante facial Lush “Smmuggler’s Soul” (9,95€, 45g): “O sândalo desde esfoliante vem de um grupo de cultivadores aborígenes do Kalgoorlie, no oeste da Austrália. A este perfume rico, junta-se o extrato de bamboo que esfolia a pele, um pouquinho de suco de mamão para refrescar. Os óleos de argan e de ‘rosa canina’ orgânicos revigoram e hidratam”.

As partículas de bamboo são bem pequenas, mas você com certeza as sente ao passar no rosto.

Primeiras impressões

Foi a moça da loja que me indicou este produto quando disse que a minha pele era sensível e que eu gostava de “sentir” o esfoliante (prefiro os físicos, com partículas, aos químicos, líquidos). Ela testou na minha mão e de cara aceitei a sugestão. As partículas de bamboo são bem pequenas (tanto que não são visíveis na foto), mas você com certeza as sente ao passar no rosto. Aplico com movimentos circulares, sem forçar, e apesar de não ser uma máscara, deixo alguns minutos na pele antes de remover com água. Adoro a estética das embalagens e a quantidade, apesar de não parecer, é bem generosa porque não é preciso aplicar muito produto.

É bom?

Se eu disser que fico esperando os dias de fazer esfoliação (faço 2 vezes por semana) acho que já responde a pergunta, né? Hahaha Adoro a textura e a sensação de limpeza que vem depois. Devo admitir que não sou muito fã do tal sândalo. Não compraria um perfume disso, por exemplo. Como o cheiro não fica, não considero como um ponto necessariamente negativo. Penso que na hora de renovar, vou procurar um esfoliante facial com mais ou menos a mesma textura só que com outro perfume – mais pela vontade de testar um diferente do que pela necessidade de trocar. Minha pele se adaptou super bem e minha pele ficou até sem aquelas pipoquinhas “normais”, sabe? Não posso afirmar que apenas pela ação dele, mas com certeza pela combinação de todos os cuidados.

O que você acha da ideologia da Lush? Você usa os produtos da marca? Quais você mais gosta? Deixe a sua recomendação nos comentários!