Trilha de raquete nos Alpes do sul da França

Quem assistiu ao vídeo da primeira vez em que vi neve já sabe que a minha expectativa infantil foi frustrada porque ela não era “fofinha”. Muitas pessoas ressaltaram que era porque eu estava nas pistas de esqui. Pois uma semana depois da gravação deste vídeo, fizemos outra atividade no topo das montanhas: trilha. Ou seja, desta vez deu para literalmente afundar na neve! E ainda de quebra realizei aquele desejo de “estar em dois lugares ao mesmo tempo” pois atravessamos a fronteira entre a França e a Itália pelos Alpes.

A muralha que demarcava a fronteira entre os dois países antes da 2ª Guerra. A atual fica a alguns metros.

Este programa foi proposto pelo próprio escritório de Turismo da Isola 2000, mas com certeza outras estações fazem o mesmo. Pagamos 20€ /pessoa e tivemos direito ao guia, ao aluguel do equipamento, ao telesqui (que nos leva até o topo da montanha) e até a um piquenique a 2.350 metros de altitude! Vale a pena ressaltar que antes investimos em um calçado apropriado para trilhas: com o cano mais alto para proteger o calcanhar e impermeável, característica essencial durante o inverno. A proteção contra a água deve ser levada em conta também para a calça.

Piquenique tradicionalmente francês: pão, queijo, frios e vinho! De sobremesa: iogurte fresco e torta de mirtilo.

Caso já possua as raquetes, pode-se explorar o domínio por conta própria. Mas honestamente, é pouco recomendável porque o lugar é imenso, isolado e se você tiver um problema, só Deus para te ajudar. No dia em que fizemos isso tivemos muita sorte porque o céu estava limpo e não tinha vento, porém o risco de avalanche ainda era de nível 4. Descobri escrevendo este post que o máximo é 5 (#loucura). Daí a importância de ter alguém com experiência para saber a técnica, por onde passar e os lugares a serem evitados.

As raquetes ajudam a não afundar na neve e os “dentes” de metal no solado na aderência em subidas e descidas.

Mesmo com toda essa assistência eu consegui cair e ficar entalada em um buraco (kkkk). Afundei a perna esquerda inteirinha e precisei da ajuda de duas pessoas para conseguir sair. Uma delas teve que agarrar a minha calça porque não alcançava o meu pé. Não foi legal. Isso do meu ponto de vista, porque o meu marido se divertiu. (Se vocês forem legais nos comentários eu solto o video no InstaStories @jujgarzon hahaha).

Parece ser super tranquilo no quesito esforço físico, mas juro que é pior do que correr na areia. Juntando a altitude, a quantidade de roupas, o peso do sapato e da raquete, o fato de você às vezes afundar até os joelhos (ou mais!) e de subir e descer colinas nestas condições durante três horas, a luta é real. Mas eu me diverti muito mais do que esquiando – tirando a parte do telesqui, que é aterrorizante para quem tem medo de altura como eu. Deu para ver o meu desespero no fim do vídeo.

A chegada do telesqui “Lombarde”, a 2.350 metros de altitude.

Lá em cima é uma paz silenciosa mágica com uma vista inebriante. Apesar de eu tentar contar as minhas impressões aqui, nada se compara ao sentimento de vulnerabilidade face à grandiosidade da natureza. Sim, esta é a parte poética do post (haha). Mas sério, enquanto o esqui não é algo que eu diria que você pre-ci-sa fazer pelo menos uma vez na vida, uma aventura como esta com certeza é.

A corda no canto inferior esquerdo delimita a atual fronteira entre França e Itália.

Se você se interessou por este tipo de atividade, entre em contato com o departamento de turismo da sua estação preferida para saber a programação. Normalmente as vagas são limitadas e precisam ser reservadas antecipadamente.

You may also like

25 Comments

  1. Antes de mais nada, parabéns pelas fotos, estão um espetáculo. A paisagem é maravilhosa, é tuuuuudo! Já falei, não vou morrer antes de ver neve.rs Parabéns, o texto está ótimo e deixa aquela pontinha de “inveja” (boa, é claro). Beijo.

    1. Achei bem mais fácil com as raquetes porque você não desliza, anda “normalmente”. Só precisa de um tempinho para se acostumar.

  2. Fazer trilha na neve não parece ser nada fácil. Vc deve andar sem sair do lugar, afundar os pés a cada passo… já cansei! Mas deve ser uma experiência incrível!!
    Desculpa.. mas eu ri de vc ter entalado em um buraco. hahah
    Também quero fazer isso!

    1. Hahaha Não precisa pedir desculpas por rir! Eu pelo menos tive um “motivo”, tinha um buraco lá! Mas teve gente no grupo que caía de maduro sem motivo aparente…

  3. Como adoraria fazer uma trilha pelos Alpes e por 20€ pareceu-me um preço bem bom, com tanta coisa incluida.
    Só estive nos Alpes de passagemquando estavamos de carona pela Europa, mas mesmo assim gostei muito do que vi.

  4. Que experiência incrível, também quero muito fazer uma trilha assim pelos alpes um dia. Achei 20 euros um preço bacana por tudo que está incluso e pela experiência. Uma trilha desse nível eu também não faria sozinha e com certeza ir com um guia é muito melhor!
    Lindo o post <3

    1. Com certeza, Flávia. Risadas estão garantidas. Mas também tinha gente sozinha, pode ser uma oportunidade para conhecer gente nova. No fim, todo mundo acaba se ajudando.

  5. Adorei o piquenique na neve, e agora vou ter que fazer um também, porque achei a coisa mais lindinha do mundo! E os sapatos necessários pra essa trilha devem ser bem desconfortáveis né? Afundar na neve é pura diversão, deve ter sido uma gargalhada atras da outra nesse passeio!

    1. Os sapatos são normais para fazer trilha, tipo Timberland, sabe? Só que precisam ser impermeáveis por causa da neve. Escolhi o modelo com cano mais alto para proteger o calcanhar, é o recomendado mas não é “obrigatório”. Como não estou acostumada com sapatos deste tipo, incomodou um pouco no início, mas depois a gente logo esquece.

  6. Quando eu li que você afundou na neve, pensei isso seria algo que iria acontecer comigo hahahaha, mas essa paisagem é incrível, tanta neve, nunca nem pensei em uma trilha na neve, mas achei super interessante.

  7. que experiência incrível, até a perna afundada na neve conta hauhea posta o vídeo ai guria, libera pra noooois!!! e adorei aquele café da manhã meodeos quero

  8. Que experiência maravilhosa! E realmente a neve “virgem” que tem nas montanhas, fora das estações de ski, é bem mais fofinha e divertida.
    Cansei muito de andar na neve carregando um ski por uns 500 metros, imagine fazer uma trilha como essa! Haja preparo físico, mas a paisagem deve fazer tudo valer a pena! <3

  9. Eu estou é chocada com os preços. Acabei de ler esse post e o do esqui, e gente.. aqui na Suíça é tudo tão mais caro. Pra se ter noção, só o aluguel de bota de esqui pra iniciante é 38 francos, que sai mais ou menos uns 35 euros. O aluguel de esquis mais botas mais capacete e óculos sai por 78, COM DESCONTO, e isso numa estação que nem é das mais chics. Eu acabei comprando a coisa toda porque saia mais barato que alugar, e como moro aqui posso usar toda semana. Mas ainda assim, to besta com a diferença de preço! E to morrendo de vontade de fazer o snowshoeing, essa caminhada com a raquete. Quem sabe não animo nesse fds.

    1. Caramba, Gabi! Realmente a diferença de preço é muito grande. Esta estação onde fui também não é das mais chics, hein? Na verdade, tem de tudo. Faça a a caminhada com raquete, é muito legal! Me conte depois como foi se rolar!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *