O Ano em que disse sim

Autora: Shonda Rhimes

Título Original: Year of Yes

Gênero: Desenvolvimento Pessoal

Editora: Simon & Schuster

Número de páginas: 311

Ano: 2015

 

Talvez você não preste atenção nessas coisas e não saiba quem é Shonda Rhimes. Ei, ninguém é obrigado, certo? Mas é provável que você reconheça sim este nome como um dos mais poderosos da TV mundial, como o da criadora e produtora das séries “Grey’s Anatomy”, “Scandal” e “How to get away with murder”. Em seu primeiro livro, Shonda nos oferece uma espiada da mulher por trás desse nome.

Tudo começa quando a irmã resmunga que ela nunca diz “sim” para nada. O tempo passa e vem a negação, a auto-avaliação e a decisão de mudar. Ela resolve, por um ano, dizer a palavra mágica para qualquer coisa ou situação que a assuste, como dar discursos ou entrevistas ao vivo. Porque, contra todas as probabilidades, Shonda Rhimes é – era – uma humana como todos os outros e fugia de qualquer situação desconfortável. E como diz aquela frase no Pinterest: “a vida começa no fim da sua zona de conforto”.

Não é fácil, não é indolor e não é gratuito. Com objetivo de se descobrir e se revelar, Shonda luta contra velhos hábitos, perde amigos (ou pessoas que ela acreditava serem honestas) e questiona cada ação, cada pensamento próprio. E quem nunca passou por isso? Se você ainda não experimentou, está mais do que na hora.

Este livro não é um manual de como “Como Dançar, Ficar ao Sol e Ser Sua Própria Pessoa”. Não tem receita mágica. É uma conversa intimista e inspiradora com uma mulher poderosa, porém insegura. E ao ler sua transformação, começamos a questionar a nossa realidade. Cada um na sua. Ela resolve fazer um especial de uma hora na TV. Você talvez finalmente tome coragem para usar aquela blusa que gosta mas que tem medo dos outros acharem estampada demais.

O livro é legal. É irônico. É o fino limite entre realidade e ficção. É Grey’s.

Simplesmente, é Shonda Rhimes.

Quem já leu ou tem vontade de ler “O Ano em que disse sim”? Gostam das séries da Shonda? Me contem a favorita de vocês nos comentários!

You may also like

5 Comments

  1. Haha, sou apaixonada por How to Get Away With Murder, então este livro deve ser bem legal!
    Fiquei pensando… embora ele não seja um manual, deve dar para tentar “seguir os passos” dela nessa libertação, né? Pq acho difícil fazer isso sozinha… hahahha!

    Beijos!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    1. Acho que em linhas gerais o processo começa com a consciência de que a atual situação não é ideal. Depois vem todo o trabalho interno e provavelmente o mais difícil. A consequência disso é como o ambiente e as pessoas nele vão reagindo a cada mudança. Com certeza não é algo que dá para acontecer do dia para a noite! hahaha Beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *