Aprender um novo idioma é mais do que ser capaz de dizer frases em outra língua. É entender uma cultura, se familiarizar com expressões até então desconhecidas e enriquecer as nossas referências. Mas todo esse conhecimento, para muitas pessoas, não é adquirido facilmente. É preciso muito trabalho, dedicação e disciplina. Me considero muito sortuda por ter tido a oportunidade de passar por esse processo com o inglês e o francês, por isso resolvi compartilhar com vocês cinco dicas que me trouxeram sucesso no aprendizado de novos idiomas.

1- Faça uma imersão, mesmo que apenas por algumas horas

Claro que a condição ideal para aprender um idioma é ficar um tempo onde há nativos. Mas mesmo que você não possa (ainda!) arrumar as malas e se mandar, valorize o tempo que você passa estudando. Isso quer dizer: não use o português! Mesmo quando não estiver conversando, olhe o ambiente ao seu redor, tente descrevê-lo mentalmente na outra língua, pense nas características das pessoas, analise o que os outros estão dizendo. Você usaria as mesmas palavras? Aos poucos você vai treinar o seu cérebro a processar as informações diretamente no novo idioma.

2- Entenda como você aprende

Para isso você precisa se observar e fazer uma auto-avaliação. Você absorve mais quando ouve, quando vê ou quando repete uma informação? Por exemplo: aprendi com o tempo que memorizo a pronúncia das palavras ao ouvi-las. Ou seja, reparava nisso quando assistia filmes ou séries e prestava muita atenção na conversa alheia no transporte público nos EUA e aqui na França (ok, faço isso até no Brasil! hahaha). A moral da história é se conhecer e tornar o processo mais eficiente para você.

3- Não anote tudo

Talvez seja uma dica um pouco mais pessoal, mas o fato é que a repetição nos ajuda a memorizar. Pois então, não escreva a tradução de cada palavra na margem do livro. Olhe no dicionário e deixe para lá. Se você não gravou, vai ter que pesquisar novamente, já que a resposta não vai estar ali. O esforço é maior, claro, mas ajuda a tornar o processo de aprendizagem mais rico. Você vai memorizar o significado nem que for por preguiça de procurar no dicionário de novo! Hahaha

4- Tenha um dicionário 

Sou old school em algumas coisas e uma delas é o dicionário. Mas se você preferir o celular, tudo bem, apenas não deixe de tê-lo por perto e dê preferência aos monolíngues (tipo inglês-inglês e não inglês-português). Pode parecer muito difícil no começo, mas ter a definição da palavra no mesmo idioma vai te ajudar a enriquecer o vocabulário. Mas não abuse. Antes de pegar o dicionário, analise a palavra desconhecida e o contexto em que ela está inserida. Brinque de adivinhar se ela tem um sentido positivo ou negativo antes de buscar a resposta. Isso vai te ajudar a ficar independente do dicionário ao longo do tempo, mesmo que encontre uma palavra desconhecida no meio do caminho.

5- Não tenha medo de errar!

Coloque algo na sua cabeça (eu também preciso colocar isso na minha): você não é nativo e por isso vai ter sotaque, vai cometer alguns erros gramaticais e pode até não entender algumas referências. A adaptação vem com o tempo. O mais importante é se comunicar. Arrisque. Mesmo que você cometa erros, vai conseguir passar a mensagem, ou pelo menos o sentido dela, se estiver calmo(a). Se quem estiver ouvindo tiver boa vontade, poderá te entender independentemente dos erros e até te ajudar com o vocabulário.

Extra: Quando morei nos Estados Unidos, fiz uma amizade com uma moça do Alasca (Alasca!) e comentei que o que eu queria mesmo era perder o meu sotaque. E ela me disse algo que me marcou para sempre: “eu espero que você mude de objetivo. O seu sotaque faz parte de você, de onde você veio. Ele conta a sua história. Você não precisa ter um sotaque americano. Mantenha isso que é único em você, vale muito mais do que um sotaque padrão”.

Fica a dica!

Vocês já tinham pensado nisso? Se você já aprendeu (ou ensina!) outro idioma, compartilhe suas dicas nos comentários! Vamos nos ajudar!