Nem acredito que já estou escrevendo este post, que o último ano de planejamento e expectativas já ficou para trás. Tenho outra aliança no dedo, mas ainda estamos naquela fase de dar risadinhas quando ele me chama de “esposa” e eu o chamo de “marido”. Agora que estamos sozinhos e de volta ao nosso lar, é engraçado observar que nada e tudo mudou ao mesmo tempo. Ainda fazemos as mesmas coisas, mas a nossa reação mudou. É sutil, é breve, mas está lá em um sorriso mais profundo ou em um olhar que dura mais tempo. Talvez a volta à rotina apague um pouco disso. Talvez não.

Sei apenas que quando olho para trás, tenho orgulho do que fizemos juntos. Somos um casal mais unido agora do que antes do casamento. Organizamos tudo sozinhos e tivemos que lidar com diferenças de opinião, imprevistos, orçamentos e planejamentos que envolvem esse tipo de evento. Não foi fácil. Mas por termos cuidado de cada detalhe, eles ganharam mais importância. Lidamos com profissionais mais e menos competentes, tivemos momentos mais e menos felizes, mas o importante é que nem por um segundo o nosso sentimento e a nossa intenção de estar ali deixou de estar presente.

Conseguimos atingir o nosso maior objetivo: a cerimônia do nosso casamento foi um reflexo da nossa relação. Somos dois indivíduos de culturas diferentes que encontraram um meio comum para vivermos juntos e caminharmos um ao lado do outro. Estarmos rodeados por pessoas que amamos foi essencial. Temos uma gratidão imensa por cada um que foi ao nosso encontro, especialmente por aqueles que tiveram que fazer um longo (e caro) trajeto. À todos vocês o nosso muito obrigado!

Agora uma nova fase está prestes a começar. Uma mudança nos aguarda e com ela toda a expectativa de uma melhor qualidade de vida e novas realizações. Não temos como saber o que o futuro nos reserva, mas tenho certeza de que estamos prontos para encará-lo juntos.