Quem vem a Nantes não consegue escapar de um nome: Anne de Bretagne. Mas quem foi ela? Enquanto outros nomes da história francesa são bem mais familiares, como Maria Antonietta e Napoleão Bonaparte, Anne de Bretagne soa como uma desconhecida para muita gente. Pois se você nunca ouviu falar dela, que tal conhecer um pouquinho sobre esta duquesa que foi rainha da França duas vezes?

Anne nasceu aqui mesmo em Nantes e cresceu na torre do Castelo dos Ducs de Bretagne (Duques da Bretanha, em português). Naquela época, a região da Bretanha era independente e não fazia parte do reino francês. Pequeno adendo de atualidade: hoje ainda há pessoas que querem a separação do território e alguns brigam porque Nantes não faz mais parte da região da Bretanha no mapa atual.

Voltando a Anne, ela era tida como uma perfeita princesa desde a infância, comportada e inteligente. Fisicamente, não tinha traços remarcáveis, mas é descrita como tendo “charme e ar de nobreza e bondade”. Aos quatro anos de idade sua mão já estava prometida ao herdeiro da coroa inglesa em troca da proteção do exército estrangeiro contra as tropas francesas, que tentava unificar o território. Por conta disso, Anne acaba virando “moeda de troca” para evitar a dominação francesa.

A entrada do Castelo dos Duques da Bretanha, em Nantes.

A entrada do Castelo dos Duques da Bretanha, em Nantes.

Ela se casa, mas tem a união cancelada pois ela não havia sido consumada (o marido nem compareceu ao casamento e mandou um representante). Logo depois ela se casa novamente com o sanguinário Charles VII da França, para evitar o massacre de seu povo, que estava prestes a ser invadido pelo exército do rei. Ela tinha 14 anos. Anne tem quatro filhos com Charles VII e todos morrem ainda bebês. Depois de sete anos, ela vira viúva.

A duquesa aproveita a liberdade para reinstalar os direitos de seu ducado e finalmente consegue a retirada das tropas francesas do local. Um ano depois, em 1499, ela se casa com o novo rei da França, Louis XII (esse apareceu!) no próprio castelo nantais. Desta união nasceram três crianças e uma delas morreu.

Enquanto seus dois maridos faziam a guerra na Itália, ela encorajava o estudo das letras e das artes. Ela finalmente morreu jovem, aos 37 anos. Anne é tida na história como uma rainha “admirável” e seus sacrifícios pela terra natal são honrados até hoje.

Fontes: Anne de Bretagne 2014 e Histoire pour tous.

Foi uma personagem incrível, não é? Me contem nos comentários o que acharam da história da Anne de Bretagne. Vocês já a conheciam?